7 coisas que a faculdade não me ensinou!


É estranho sair da faculdade e se sentir despreparado para a profissão. Lá em 2003 tive essa sensação e desconfio que o mesmo aconteceu com vários colegas antes de mim.

Pensando nisso, resolvi compartilhar 7 coisas que a faculdade não me ensinou sobre advogar, mas tive que aprender mesmo assim (e acredite, você também terá que aprender).

1. A TEORIA É DIFERENTE DA PRÁTICA

O que aprendi na faculdade me ajudou a conhecer os direitos dos meus clientes e o meu parâmetro de atuação, mas foi só. A teoria é só a teoria. No estágio e logo nos primeiros anos consegui aprender na prática o que é rotineiro na profissão: o que significa que os autos estão conclusos, como despachar com o juiz, o tratamento com os colegas, onde sentar na audiência, o que precisa constar nos quesitos, o momento de contraditar a testemunha, a forma de interposição do agravo, a elaboração de relatórios, enfim, muitas coisas práticas para as quais os meus 5 anos de Direito não me prepararam!

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- Sou novo... Por onde começar?


2. COMO COBRAR OS HONORÁRIOS

No começo achava complicado precificar meu serviço e fixar meus honorários. Achava que pela inexperiência ninguém ia querer pagar o valor que era devido, valor esse que estava de acordo com a tabela da OAB! Outra coisa que achava complicada, também, era cobrar quem me devia os honorários.

Quero fazer uma postagem só falando sobre esse tema, mas em resumo é isso: ninguém trabalha de graça. Se eu (e você) trabalhei pelo cliente, mereço receber pelo serviço prestado. Não abaixo o meu preço e valorizo o meu serviço. Sempre vai ter alguém fazendo mais barato do que a média de mercado, mas esse alguém não serei eu.

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- Quanto posso cobrar do meu cliente?

- Quanto cobrar para fazer uma audiência trabalhista?


3. SEPARAR FAMÍLIA/ AMIGOS E NEGÓCIOS

Quem nunca teve um amigo ou parente "tirando dúvida" (fazendo consulta), que atire a primeira pedra :P  A primeira coisa que aprendi é a não advogar para família e amigos. Prefiro passar o caso para um colega que não tenha nenhum vínculo com a pessoa, porque se para o cliente a culpa da demora e entendimento divergente dos juízes é sempre do advogado, experimenta ser advogado e parente... Vira o maior climão nos encontros de família! Hoje respondo as dúvidas básicas dos parentes e se não é da minha área, já aviso logo que não sei responder.

Outra coisa importante é separar o trabalho do lazer. Sei que temos muitos prazos e algumas vezes trabalhar nos finais de semana acontece, mas evito isso o máximo possível, pois acredito que cada coisa tem seu tempo de acontecer e o fim de semana deve ser para descanso :)

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- 3 motivos para não trabalhar no fim de semana!


4. SER MULTITAREFAS

No começo o advogado ganha zero reais, ou seja, precisa atuar no caso sendo o advogado, o estagiário, a secretária, o contador, o arquivista, o administrativo, o paralegal, a copeira, a recepcionista, enfim, tudo depende da gente mesmo. Você pode achar que isso é ruim, mas eu achei ótimo, porque hoje tenho a expertise que alguns colegas que já começaram como advogados em empresas ou escritórios grandes não tem. Consigo me virar em qualquer situação, mesmo quando não sei o que fazer.

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- Como fazer um relatório jurídico para o seu cliente?


5. PROCURAR AJUDA QUANDO NÃO SEI O QUE FAZER

Logo que saí da faculdade achava uma vergonha falar que não sabia fazer alguma coisa e ter que pedir ajuda, pois pensava que as pessoas iam me julgar incompetente. O que eu não me atentei naquela época é que todo mundo estava no mesmo barco e ninguém sabe tudo! Até hoje eu peço ajuda para alguns colegas, estudo e estou sempre aprendendo. Graças a Deus que é assim, pois vou evoluindo e melhorando sempre. Tem situações que não sei exatamente o que fazer (exemplo: esses dias um colega me mandou e-mail perguntando sobre trabalhador rural e eu nunca atuei nesse tipo de ação). Nesse caso eu assumo que não tenho experiência, mas estudo sobre o assunto, porque ninguém nasceu sabendo, né? Também tenho alguns mentores de várias áreas que me ajudam e orientam a carreira, e foi exatamente por ter esse tipo de suporte que quis montar a Mentoria Jurídica. Se você precisa de ajuda, estude, leia, peça orientação e esteja disposto a aprender sempre.

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- A importância do feedback!

- Tenha um mentor!


6. COMO CONSEGUIR CLIENTES

Essa é a pergunta de ouro que não tem resposta mágica. Já falei outras vezes aqui no blog e repito: as pessoas só precisam saber que você é advogado e os clientes começam a aparecer. Todo mundo nesse Brasil tem um problema que precisa de solução e o advogado muitas vezes pode ser essa solução tão esperada. Quando as pessoas me procuram eu normalmente escuto o que elas tem a dizer e respondo se é possível resolver judicialmente ou não. Como estou focada no blog e na Mentoria, acabo repassando o cliente para um dos colegas da minha rede de contatos.

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- 3 formas de divulgar o seu escritório!


7. CUIDAR DA MINHA IMAGEM

A minha imagem vai muito além do físico. Cuido da minha aparência, do tratamento com as pessoas, do visual das minhas petições, da seriedade na prestação do serviço, das minhas redes sociais e procuro fazer tudo com qualidade e excelência. Mais do que pessoal, a imagem do advogado muitas vezes é vista apenas no papel, então procuro apresentar minha melhor versão em tudo o que faço.

Matérias do blog que podem te ajudar com esse assunto:

- Como um advogado deve se vestir?

- 5 passos para fazer a melhor petição do mundo!

- 4 empresas que eu copiaria no meu escritório!

- 5 coisas que eu aprendi com os advogados mais admirados do Brasil!


Quer compartilhar alguma coisa sobre a nossa profissão que a faculdade não te ensinou?
Deixa um comentário :) 

________________

Quer ser um especialista em audiências?


Curso: Audiência Trabalhista na Prática

________________

Crédito de imagem: Freepik

Melissa

Formadas em 2003 e pós-graduadas logo em seguida ♡ Ajudando colegas desde 2015!

6 comentários:

  1. Obrigado Melissa!
    Ótimo assunto, me esclareceu bastante!
    A cobrança de honorários é a minha maior dificuldade rsrs
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a dificuldade de todos nós, né?
      Farei um post só sobre o assunto! :P

      Excluir
  2. Olá, sempre tive o sonho de fazer direito, mas confesso que​ tenho receio em me forma e não consegui emprego. Gostaria de um conselho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Joana! Tudo bem?
      A vantagem do advogado é que ele não precisa de um emprego, pois pode ser autônomo :)
      Se é o seu sonho, recomendo que faça a faculdade sim!
      Caso opte por esse caminho, saiba que vai ter que ler muito, estudar muito e ser bem cuidadosa com a grafia e apresentação das suas peças.
      Se isso não te desanimar, você tem futuro na profissão!
      Vá ao fórum, acompanhe algumas audiências, converse com algum advogado e pergunte se pode acompanhá-lo por 1 dia... Aí você poderá decidir com mais propriedade.
      Abraço e espero que em breve possa te chamar de colega de profissão ;)

      Excluir