receba nossas postagens no seu e-mail!

Manual do Advogado

Aconteceu no dia 23 de novembro de 2017 o segundo AurumSummit, realizado pela Aurum, empresa de software jurídico. O Aurum Summit é um evento de imersão no futuro da advocacia, para o profissional que busca aprender e inovar nesse cenário de grandes mudanças no mundo do Direito.
O evento aconteceu na Estação São Paulo e totalizou 8 palestras cheias de conteúdo prático. Nós, do blog Manual do Advogado tivemos a oportunidade de participar e vamos contar um pouco disso tudo para vocês. Quem fez toda a cobertura do evento foi a Priscila Menezes, que é especialista em Direito Empresarial, Self Coach, Coach de Carreira e tem sólida experiência em assuntos regulatórios.
Bom, depois de um café da manhã bem servido, a galera foi para o auditório principal e a abertura foi feita pelo CEO da Aurum, Antonio Gerassi Neto, que destacou que a mudança está acontecendo no mundo e aqui no Brasil também, portanto estará à frente o profissional que melhor souber lidar com a tecnologia e usar a inovação em favor da advocacia.
Antonio Gerassi Neto – CEO da Aurum
Francisco Müssnich iniciou os trabalhos, abordando o tema do “Advogado do Futuro”, e assistir a palestra dele é como conversar com aquele seu professor de faculdade cheio de conhecimento mas super acessível e divertido, sabe? De acordo com ele, o advogado bem sucedido que antes tinha que ter conhecimentos multidisciplinares, como matemática e administração agora precisa conhecer tecnologia, e precisa perseguir umainovação disruptiva, que engloba não só tecnologia mas também originalidade, saber usar coisas antigas de uma forma nova. É preciso entender que a tecnologia vem para ser aliada no universo jurídico, porque as máquinas ajudarão, nas nunca farão a estratégia… Essa caberá ao advogado, sempre! E para entregar mais, com alto nível de qualidade, por menos, será mandatório o uso da tecnologia.
Palestrando sobre “Discover yourself: Qual a sua marca?”, Cris Zambon, abordou de forma leve e incrível  a importância do marketing pessoal do advogado. A explanação dela te coloca para pensar  sobre você mesmo e como outras pessoas te enxergam… De acordo com ela, é preciso aprender a agregar valor ao seu negócio, mas antes de entregar algo, o advogado tem que se conhecer, saber no que é bom, se especializar e entender que as coisas podem não dar certo desde o primeiro momento. É importante tentar  ser autêntico dentro desse meio e questionar se as pessoas sabem o que eu vendo, qual o meu nicho,  entendendo também que a imagem é construída ao longo do tempo.
Rodrigo Vieira deu seguimento ao ciclo de palestras, falando sobre o “Escritório do Futuro”, afirmando que este será o que agregará sua cultura para aprender o que as novas realidades trazem. Sinalizou o surgimento de novas relações jurídicas, novas tecnologias e novos paradigmas e questionou se nós, advogados, estamos preparados para esse futuro. Ele atua no escritório Tozzini Freire Advogados, referência no segmento de start-ups, e contou os passos dados desde o início da atuação deles, através da percepção de um novo e forte segmento, que precisava de algo inovador, disruptivo, de qualidade e ao mesmo tempo, acessível, pois as startups possuem pouca disponibilidade de capital. E como todo esse engajamento modificou a cultura do escritório, através da interação entre equipe, troca de experiência entre ‘gerações’, trabalhar em colaboração, entre outros benefícios. Escutar a palestra dele nos remete à aquele advogado super experiente do escritório, ou empresa, que dirige os projetos de forma inovadora e com o qual se aprende muito!
Tratando de “Como a gestão de processos pode fortalecer seu escritório e fidelizar seus clientes”, Vinícius Capillé e Hélcio Padrão mostraram um pouco dos números da Justiça no Brasil. Falaram, ainda, sobre os desafios para a Advocacia, buscando uma visão de futuro, e também sobre a necessidade de uma nova abordagem junto aos clientes, de modo a evitar o litígio, sempre que possível, pois esse é o primeiro passo da mudança, questionando sempre que padrões, ou princípios de gestão, que precisam ser revistos para que a atualização seja efetiva.
Após o almoço e instantes de networking de qualidade, os trabalhos reiniciaram com Bruno Feigelson, advogado cheio de energia que tratou do tema “Advogado 2.0”. Segundo Bruno, assim como as corporações fizeram, citando Amazon, Netflix, Airbnb, e outras, chegou a vez do advogado se reinventar, pois estamos caminhando exponencialmente para algo novo e totalmente imprevisível! Portanto é preciso estar conectado com a nova realidade e evoluir. Citou inúmeros exemplos tecnológicos, e como isso tudo pode evoluir e afetar relações jurídicas, pelo que é mandatório que os advogados estejam preparados para isso e para a era das lawtechs.
Momento de networking
Passo seguinte, tivemos a apresentação de Rafael Heringer, tratando sobre a “Modernização do mercado jurídico: Tecnologia como aliada da gestão”. Ele comparou o passado recente com questões atuais, o que nos leva a concluir que as questões humanas são absolutamente as mesmas. Mas que as máquinas vieram para ajudar no desempenho dos processos, com ganho de tempo, o que permite que recursos humanos possam ser melhor aproveitados. Citou também algumas evoluções disponíveis no cenário atual, como a contratação de correspondentes utilizando a tecnologia, o que permite a comunicação em tempo real, a qualificação colaborativa do profissional, entre outros benefícios.
Coube à palestrante Patricia Peck tratar dos “Desafios e oportunidades no Direito Digital para advogados”. Ela iniciou contando um pouco de sua trajetória e através dela é possível compreender porque esta advogada é referencia na área em que atua. Declarou que o direito digital representa um upgrade do direito, sendo mais estratégico e preventivo; vai da inovação à resposta aos incidentes, onde as máquinas possam ter papel fundamental como procuradoras, protagonistas e testemunhas das relações humanas. Deu bastante ênfase à importância das provas eletrônicas e ao desafio atual de rever os institutos fundamentais do Direito frente a essa realidade digital, como identidade, assinatura, documento, prova, privacidade, soberania e jurisdição.
Camila Berni
Encerrando o ciclo de palestras, Camila Bernifalou sobre a “Fidelização de clientes na advocacia: o pós-venda como um ativo econômico”. Conhecida por comparar a Disney com o segmento jurídico, ela lembrou a todos que o negócio da Disney tem as mesmas dificuldades que os outros negócios.  Em tom de conversa, ressaltou a importância na continuidade de contato com o cliente, mostrando erros comuns cometidos por advogados e também os princípios do ‘pós-venda’ na advocacia, quais sejam, cadastro atualizado e parametrizado de clientes, ouvir mais o cliente e se fazer lembrado por ele. Declarou que um dos segredos da Disney é o investimento no elenco, pois funcionários inspirados são responsáveis pelo encantamento do cliente, e que é possível planejar esse encantamento com serviços ou combos de serviços de maior valor agregado, venda cruzada entre áreas, comunicação específica por segmento de clientes e muita atenção aos detalhes!
Para finalizar o evento, mais uma oportunidade de networking com direito a chopp gelado ao som de uma DJ, que conseguiu animar os advogados.
Nossa recomendação? Se você tiver a oportunidade, participe desse evento tão inovador, mas ao mesmo tempo, de temas super relevantes
Conhecimento e diversão estão garantidos! 

________________

Crédito de imagens: Imagem de capa – Freepik | Imagens do evento – Aurum

Leia também

Deixe seu comentário

2 Comentários

  • Melissa
    16 abril, 2018

    De nada, Ana! <3

  • Ana Paula Lima
    11 abril, 2018

    Muito bom e interessantíssimo! Obrigada por compartilhar, Melissa!