receba nossas postagens no seu e-mail!

Na audiência de instrução as testemunhas do reclamante e da reclamada tem a oportunidade de falar sobre os fatos alegados no processo. Cada parte pode levar o seguinte número de testemunhas:
Procedimento Sumaríssimo: 2 – (art. 852-H, §2º, da CLT);
Procedimento Ordinário: 3 – (art. 821, da CLT).
A testemunha tem que ser imparcial e não comparece para ajudar a parte que a convidou, por isso o artigo 829, da CLT determina que:

Art. 829 – A testemunha que for parente até o terceiro grau civil, amigo íntimo ou inimigo de qualquer das partes, não prestará compromisso, e seu depoimento valerá como simples informação.

Vale a pena também dar uma olhada no artigo 457, do NCPC.
Então se você souber que a testemunha da outra parte está enquadrada em qualquer dessas situações, você deverá contraditá-la, justificando o motivo. Pode ser mais de um motivo.
São eles:
Parentesco;
Amizade íntima;
Inimizade;
Interesse na causa;
Troca de favores (A é testemunha de B e no outro processo B é testemunha de A, ou seja, eles se ajudam um sendo testemunha do outro). 
Na prática, vai acontecer assim:
1. A testemunha é chamada a depor.
2. Ela entra, senta, entrega o RG e começa a ser qualificada nos autos (nome, endereço, profissão, etc.).
3. Logo que acabar a qualificação e antes do juiz compromissar a testemunha (alertar de que ela esta depondo em juízo, mas deve falar apenas a verdade, pois se mentir pode responder por crime de falso testemunho e ser até presa), você vai falar:
“Excelência, pela ordem, o reclamante / a reclamada (depende de quem é o seu cliente) contradita a testemunha por _____________.” 
Nesse espaço em branco você indica o motivo, do jeito que eu escrevi aí em cima. Não fale, por exemplo, só “amizade”. Tem juízes que desconsideram a contradita. Diga “amizade íntima”. O mesmo para os demais.
4. Se a testemunha confessar, o juiz pode ouvir como informante.
5. Se a testemunha negar, você pode fazer prova da contradita (se houver).
6. Sendo negada a contradita, consigne seus protestos.
ATENÇÃO:
Não perca a hora certa de contraditar, porque se você fizer antes, pode levar uma “bronca” do juiz por não ser o tempo certo e se contraditar depois do compromisso, o momento oportuno já passou e, portanto, precluiu.
Nunca contradite a sua testemunha. Parece besteira falar isso, mas pode acontecer pela falta de experiência, nervosismo ou desatenção.
Não contradite a testemunha se não houver pelo menos indício de que seja verdade.
O simples fato de uma pessoa ter acionado o mesmo empregador não a impede de ser testemunha (Súmula nº 357, do TST). Para configurar a troca de favores, um tem que ser testemunha do outro.

Se o juiz ouvir a testemunha contraditada como informante, o peso do depoimento é bem menor.

Leia também

Deixe seu comentário

77 Comentários

  • Caio
    03 maio, 2021

    O Reclamado arrolou como testemunhas duas funcionarias da sua empresa, posso pedir contradita alegando que estas são suspeitas?

    • Melissa Santos
      06 maio, 2021

      Caio, depende do motivo da suspeição.
      Lembrando que não basta contraditar… O advogado deve provar a contradita, até instruindo se for o caso 😉

  • Elisa Ribeiro
    30 abril, 2020

    Gostei muito, pois são detalhes que faz toda diferença no momento da audiência..parabéns e obrigada pelas dicas com fundamentos juridicos..

  • Álvaro
    08 agosto, 2019

    Excelente página. Esta me ajudando demais. Estou começando a fazer audiências trabalhistas e as orientações estão sendo de enorme valor. Parabéns pela iniciativa.

    • Melissa Santos
      08 agosto, 2019

      Que legal, Álvaro!
      Se inscreve aí no topo para receber a newsletter… Toda sexta mando no seu e-mail a matéria publicada durante a semana 🙂

  • Airon
    24 julho, 2019

    Olá Dra. Melissa
    Boa noite.
    Quando a outra parte contradita seu cliente, anexando no Pje fotos que comprovam amizade íntima entre Reclamante e testemunha. Como pedir para o Magistrado para aceitar a testemunha como informante, que peça devo elaborar? Tem algum modelo especifico?

    Desde logo, obrigado e parabéns pelo belo e relevante trabalho.

    • Melissa Santos
      25 julho, 2019

      Oi, Airon!
      Se isso acontecer na audiência e o juiz acolher a contradita, peça na mesma hora para ouvir a testemunha como informante.
      Agora, se a prova da contradita for por petição, responda com uma petição simples em duas partes: na primeira tentando afastar a contradita e na segunda dizendo que ainda que a contradita seja acolhida, a parte requer que a testemunha seja ouvida como informante.
      O momento oportuno é logo que receber a notificação dando ciência do fato.
      Boa sorte 😉

      • Airon
        26 julho, 2019

        Obrigado Dra.

        • Melissa Santos
          26 julho, 2019

          De nada 😉

          • Airon
            29 setembro, 2019

            Olá Dra. Melissa Santos
            Não poderia deixar de te agradecer pela orientação. No caso supra citado protocolei uma contestação alegando a preclusão da insurgência o que foi deferido. Seu trabalho é esplendido, tem me ajudado muito.
            Obrigado Dra. Melissa.
            Bjs.:)

          • Melissa Santos
            29 setembro, 2019

            Aeeee! Que bom 🙂

  • Mari
    10 outubro, 2018

    Olá Melissa, estou em uma situação complicada e se você puder me dar uma luz, agradeço mto!

    Tenho um cliente que sempre testemunhou pela empresa e não podia falar o real horário. Agora ele testemunhou em uma audiência falando o horário real (dele e da reclamante) e a empresa está alegando falso testemunho e juntou atas de quando ele trabalhava.

    Como lidar com essa situação?
    Ele foi obrigado a mascarar o depoimento, como a grande maioria faz quando testemunha pela empresa.

    • Melissa Santos
      10 outubro, 2018

      Oi, Mari! Tudo bem?
      Infelizmente o seu cliente cometeu crime de falso testemunho e provavelmente o depoimento dele será encaminhado para apuração do MP.
      Só existem duas hipóteses: manter o depoimento e correr o risco ou retificar o depoimento para que fique de acordo com as atas anteriores 🙁

  • Melissa
    23 agosto, 2018

    Eliana, não entendi… Seria EM OUTRA DEMANDA? É isso? Qual é o seu papel no processo?

  • Eliana Morais
    22 agosto, 2018

    Boa tarde.Verifiquei que a advogada da reclamada é a mesma que defende o reclamante empurra demanda. Como proceder?

  • Melissa
    09 agosto, 2018

    Eliana,Tem que liquidar todos os pedidos sim – inclusive honorários.A juntada da memória de cálculo fica a seu critério 😉

  • Melissa
    09 agosto, 2018

    Eliana,Ativei a caixa de inscrição aí em cima 🙂

  • Eliana
    08 agosto, 2018

    Bom dia doutora.Estou entrando com a minha primeira reclamação pelo rito ordinário e queria saber se sou obrigada a indicar cada valor de cada pedido e se for obrigado devo apenas indicar o valor ou tenho que juntar a memória do cálculo?

    • Dericio
      24 outubro, 2018

      os pedidos sao liquidos e certos, assim, cada demanda tem seu valor

      • Melissa Santos
        24 outubro, 2018

        Isso aí!
        O mesmo que escrevi aí em cima – quando mudou o layout do blog as respostas ficaram fora de ordem 😉

  • Eliana
    08 agosto, 2018

    Bom dia.Gostaria de me inscrever no blog.

  • Melissa
    25 julho, 2018

    Oieeee :)Tente delimitar o tempo da prestação de serviços. Em caso de acordo, insista na exclusão… Não fique de subsidiária!

  • Anônimo
    23 julho, 2018

    Oi Dra.Melissa!No caso de audiência UNA, patrona pela 4ª reclamada, há alguma consideração a fazer?!

  • Melissa
    20 maio, 2018

    Oi, tudo bem?Pode contraditar sim, mas o juiz dificilmente acolherá…

  • Anônimo
    16 maio, 2018

    Melissa, boa tarde. Uma dúvida: uma testemunha da reclamada pode ser contraditada pelo motivo de “interesse na causa” para manutenção do seu emprego ou seja para que não seja demitida? Alguma atividade extra trabalhista prestada por esta pessoa à reclamada, pode ser utilizada como contraditamento? Grata.

  • Melissa
    22 março, 2018

    Oi, tudo bem?Nesse caso o resultado é o mesmo: confissão 🙁

  • LeH Regina
    16 março, 2018

    Melissa,boa noiteTenho uma dúvida: O que é pior: deixar dar revelia por ausência do preposto. Ou o preposto comparecer (sem advogado) e responder todas as perguntas como “não sei”. Agradeço muito a sua atenção.Sucesso.

  • Melissa
    07 março, 2018

    Oi, tudo bem?Depende… Tem que ver com o seu advogado 😉

  • Melissa
    07 março, 2018

    Oi, Ana! Tudo bem?Pode sim contraditar testemunha que comparecer espontaneamente, desde que na forma do rol taxativo descrito na matéria.Faça do jeitinho que eu escrevi aí em cima, ok?Boa sorte 😉

  • ana paula souza caetano
    27 fevereiro, 2018

    Boa tarde Dra. Melissa.Gostaria de saber se posso contraditar testemunha que não foi arrolada e nem mencionada, previamente, que compareceria de forma espontânea, e em caso afirmativo, posso seguir o mesmo exemplo supramencionado??

  • ana paula souza caetano
    27 fevereiro, 2018

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

  • Bola de pelo
    26 fevereiro, 2018

    Posso usar um audio e uma conversa por whatsap(essa conversa foi feita recente) como prova sem ter sido colocada no processo inicial mas apresenta-la no dia da audiencia como falso testemunha caso a empresa vir a mentir.

  • Melissa
    21 fevereiro, 2018

    Oi, tudo bem?Dá uma olhada nessa matéria:https://www.manualdoadvogado.com.br/2017/03/oitiva-testemunha-precatoria-justica-trabalho.htmlBoa sorte 😉

  • tattoorize
    20 fevereiro, 2018

    Dra. Melissa, qual o momento para contraditar uma testemunha que será ouvida por Carta Precatória?Estou receosa porque o mesmo foi arrolada em audiência de instrução e só descobri após situações que a impedem de testemunhar. Já operou a preclusão ou posso fazer perante o juiz deprecado?

  • Melissa
    14 dezembro, 2017

    Oi, tudo bem?Não seja pessimista :PConverse com o seu advogado, pois ele poderá te explicar direitinho a situação.Boa sorte!

  • Pessimista
    14 dezembro, 2017

    Olá Dra. Boa tarde! Entrei com uma ação trabalhista solicitando acumulo de função e horas extra. Apresentei uma testemunha,porém a empresa apresentou as folhas de ponto e acesso de catracas,porém não assinados e também uma testemunha que trabalha como advogado na empresa. Enfim meu Adv informou que eles se saíram na vantagem por ter apresentado uma testemunha que é um advogado. Ao seu ver isso procede?

  • Melissa
    10 dezembro, 2017

    Oi, tudo bem?Primeiro você faz a contradita.Se eles negarem a amizade íntima, aí você pede a palavra pela ordem e apresenta ao juiz os documentos, se comprometendo a juntar cópias no processo.

  • Anônimo
    09 dezembro, 2017

    Melissa, tudo bem? Estou iniciando agora e me surgiu uma dúvida. As testemunhas (as duas) são amigas íntimas, encontrei no face fotos deles viajando, declaração onde falam que são “cumpadres”, declarações de amizade, almoços em casa, churrascos etc. Já estou com as fotos impressas, eu apresento na hora na contradita ou espero o juiz falar alguma coisa?

  • Melissa
    05 dezembro, 2017

    Oi, tudo bem?Depende… Você já foi indicada?Converse direitinho lá na empresa, para não ter problemas.Mas não falte, porque dependendo de como for você pode até ter que pagar multa de 1 salário mínimo. O ideal é conversar com eles mesmo.Abraço e boa sorte 😉

  • Anônimo
    04 dezembro, 2017

    Sou obrigada a ir em uma audiência trabalhista e ser testemunha da empresa ?