receba nossas postagens no seu e-mail!

Gostaria de registrar nesse artigo uma pequena história, gratidão e muitas saudades.

A cachorrinha da nossa família, uma estrelinha chamada Minnie, foi morar no céu, depois de uma parada cardíaca que nos pegou de surpresa. Era uma poddle fêmea, de quase 11 anos, que ganhei meses depois que me casei. A melhor cadelinha que alguém poderia ter: educada, dócil, brincalhona e quase não latia. Se adaptou muito bem após o nascimento das crianças e quase nunca as mordia, apesar do tanto que as garotas enchiam o saco dela, era uma heroína, rsrs. Minha companheira de dias de home office, sempre ao meu lado, onde quer que eu estivesse pela casa, dia ou noite.

Naquele dia, antes de sairmos para o veterinário, ela teve uma crise de tosse, e depois que passou, me sentei no chão da sala e a abracei. Senti que as coisas não estavam bem, mas pude demonstrar meu amor por ela. Ela se aninhou no meu colo e ficamos assim, por dois minutos. Foi nosso último abraço, Passo seguinte tive que reunir forças, muita coragem e sair correndo para a emergência, tentando salva-la.

O motivo de contar essa historia a você, caro leitor, é para reforçar a importância do agora. Pude viver aquele momento de despedida com ela, tenho essa lembrança gravada em mim, como um agradecimento por tudo o que ela representou em nossa família.

E você vive o seu presente? Está desfrutando daquilo que está acontecendo nesse exato momento? Ou você é daquelas pessoas que está no trabalho, pensando no passeio ou nas coisas pessoais, e quando está na sua vida pessoal, em uma ocasião super especial, com pessoas que são importantes para você, fica se preocupando com os problemas do trabalho?

Acredite, tem gente até que vive em outras épocas, diferentes do presente: preferem viver no PASSADO ou no FUTURO, e isso também não é bom.

Viver no passado te impede de seguir, reforça as magoas, fobias ou desesperos que você tem; até mesmo se apegar às coisas bacanas que aconteceram no passado é ruim: tem impedem de seguir e alcançar novas metas, e ambas hipóteses, causando depressão.

Pensar somente no futuro também não é o ideal, pois gera excesso de expectativas o que dão origem à ansiedade, que faz tão mal à saúde quanto a depressão.

Pessoas que sofrem de distúrbios de ansiedade sentem preocupação e medo em excesso, em situações simples do dia a dia, além de alguns sintomas físicos, o que atrapalha suas atividades cotidianas, já que eles são difíceis de controlar. Você sabia disso?

Aliás, o site Fórum Digital Saúde divulgou o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) o qual mostra que, até o final de 2018, 4,4% da população mundial, ou seja, 322 milhões de pessoas, tinham ou já tiveram depressão. No Brasil, o número aumenta para 5,8% da população, ou seja, mais de 11 milhões de pessoas e, quando passamos para ansiedade, os valores são ainda mais preocupantes: 9,3% dos brasileiros (quase 19 milhões) é ou está ansioso, o que o posiciona como o país mais estressado e ansioso da América Latina. É muita gente depressiva e/ou ansiosa!

Viver uma vida distante do agora tem muitas conseqüências ruins. Você já sabe disso, mas é importante lembrar:

A sua vida está acontecendo AGORA, aproveite!

Está no estágio ou no trabalho? Entregue seu melhor nesse momento, com toda sua dedicação e foco! Acabou o expediente? Está no seu fim de semana? Desfrute da energia que esse momento de descanso te proporciona, esteja bem acompanhado pela família, pelos amigos, pelas pessoas que você ama, e esquece os problemas e dificuldades das outras áreas.

Tem dificuldade para viver no tempo certo? Um psicólogo ou terapeuta podem te ajudar, Precisa focar melhor nas metas e aprender a separar o profissional e pessoal, vivendo o agora? Um coach, como eu, pode te ajudar. Tenha coragem e humildade em buscar as ferramentas que você não possui para ajudar a si mesmo. Permita-se viver de forma livre e plena, desfrutando os acertos e aprendizados que o agora te proporcionam. E seja feliz, muito feliz, como eu fui com aquela cadelinha.

A gratidão aqui é para a Dra. Melissa, que vocês já conhecem. Para mim ela é a Mel, minha irmã e parceira de vida, que nesse momento tão difícil me acompanhou e assumiu as rédeas para lidar com a partida da Minnie, quando eu não tinha mais forças. Não há palavras que possam expressar o quanto você foi e é importante na minha vida, em todos os aspectos, te amo, minha irmã.

A saudade? Muita, daquela estrelinha chamada Minnie. Seja feliz, onde estiver…

_________________________

Crédito de imagem: kstudio – freepik

Leia também

Deixe seu comentário