receba nossas postagens no seu e-mail!

“Como conquistar clientes na advocacia com a internet?”

Coloquei como título desse texto a mesma pergunta que escrevi no Google alguns anos atrás.

E foi um divisor de águas na minha vida.

Me senti a gota no oceano quando me deparei com todo aquele conhecimento.

A gente sai da faculdade com toda teoria sobre processo, como fazer petições, recursos, cumprir prazos

Mas, para quem?

Se eu não tenho clientes de que adianta saber como fazer uma reclamação trabalhista?

O tempo vai passando, entra um cliente aqui outro ali, mas nada comparado com os sonhos de quando saímos da faculdade e passamos na OAB.

Então só nos resta culpar o judiciário, a quantidade de advogados no Brasil, o próprio mercado e sabe-se lá quais outras desculpas damos para nossas frustrações.

Contudo, quando digitei o título desse texto no Google, me foi apresentado o mundo do marketing jurídico.

O marketing jurídico é o catalisador de carreiras

Estudar sobre marketing jurídico é um caminho sem volta.

Se você ainda não sabe o que é isso te convido a pesquisar no Google, DEPOIS, sobre esse assunto.

Com o tempo vamos aprendendo sobre Branding, Inboud Marketing, persona, CTA, keywords e outras palavras que podem parecer complicadas de início, mas vamos nos acostumando com elas.

E estudando melhor sobre o tema, vamos perdendo o medo de cometer alguma infração ética, já que aprendemos a adaptar o marketing jurídico ao que determina o estatuto da OAB.

Por isso, quero trazer para você algumas dicas de como consegui conquistar clientes na advocacia usando estratégias de marketing de conteúdo.

O site do escritório é meu carro chefe

Meu site é a principal forma de atrair clientes na advocacia.

Nem se compara a quantidade de contatos que consigo por meio da internet em relação ao presencial.

É discrepante.

Porém quando falamos de um site como estratégia de marketing de conteúdo não basta ter um site institucional, apenas.

É necessário produzir conteúdo.

Geralmente os sites que pretendem produzir conteúdo possuem uma aba destinada a isso.

Os nomes da aba podem ser diversos, mas normalmente é chamado de blog, ou o próprio site já é construído com base nesse formato.

Além disso, é necessário produzir conteúdo de forma constante.

No meu caso, produzindo somente um post por semana a cerca de quatro anos (com um período de hiato), vou alcançar a marca de um milhão de acessos no site logo logo.

O post ou artigo, como você prefira chamar, deve ser destinado ao seu público-alvo e conter técnicas de escritas como o copywriting e storytelling.

O copywriting é uma escrita persuasiva capaz de levar o leitor, ao final do artigo, a tomar a decisão que você desejar.

Pode ser deixar um comentário, curtir, compartilhar e etc.

Para isso são usados alguns gatilhos mentais que despertam emoções no leitor.

Única ressalva que faço é para não usarem gatilhos que despertem sentimentos ruins como medo e ansiedade. Sério não faça isso.

Você vai ler muito por aí sobre construir gatilhos mentais nesses sentimentos, que dão certo, mas que vai contribuir para o adoecimento a longo prazo da comunidade disposta a ler conteúdos na internet.

Então não crie títulos como “sua advocacia é um fracasso por isso” ou “5 dicas para nunca mais sofrer por não ter clientes na advocacia”.

Já o storytelling é escrever seu texto através de uma história, utilizando algumas técnicas de identificação com o leitor.

É o que estou fazendo nesse texto e principalmente na introdução “A gente sai da faculdade com toda teoria sobre processo, como fazer petições, recursos, cumprir prazos”.

Qual advogado não se identificaria com a frase acima?

Além disso, a estrutura do texto deve seguir algumas regras de SEO.

O SEO, constitui um conjunto de técnicas para otimizar o seu site e te colocar na primeira página do Google.

Pronto, após seguir esses conceitos e manter uma produção regular os resultados vão começar a aparecer depois de um tempo.

E as pessoas vão começar a ler os seus textos e entrar em contato.

Por isso é fundamental que você deixe bem claro no site formas de contato, podendo ser o seu WhatsApp, e-mail, telefone ou formulários.

No meu caso eu deixo disponibilizado no site o whastapp, formulários de contato e principalmente uma pequena aba no canto inferior direito onde a pessoa abre um chat diretamente comigo.

A partir dai você pode cobrar consultas online, marcar reuniões presenciais, tudo vai depender da forma como pretende atender esse potencial cliente.

Jusbrasil

O Jusbrasil é uma excelente plataforma para conquistar clientes na internet também (me segue lá).

Lá você pode criar a sua página e construir seus textos na plataforma deles.

O ponto positivo é que eles são o maior site de conteúdo jurídico do mundo.

Sim, eu disse do mundo, não apenas do Brasil.

São milhões de acessos por mês. E se você construir bons textos ainda tem a chance de sair na newsletter deles, o que aumenta a possibilidade de um potencial cliente entrar em contato.

Entretanto, é o site deles e você precisa se adequar as regras deles e disputar com outros tantos advogados que possuem uma página por lá.

Mas calma, eu também estou por lá e tem espaço para todo mundo.

Antigamente eu usava o mesmo texto que postava no meu site lá no Jusbrasil, mas percebi que o Google começou a me penalizar, entendendo provavelmente meu próprio conteúdo como plágio, já que o site do Jusbrasil possui um tráfego muito maior.

E com isso, meus artigos publicados diretamente no site foram perdendo posições nas páginas do Google.

Atualmente eu reescrevo com outras palavras o texto que eu posto no meu site antes de publicar no Jusbrasil para não correr esse risco e tem dado certo.

Redes Sociais

Minha estratégia com as redes sociais é praticamente a mesma do Jusbrasil.

Apesar de não replicar o texto que produzo no site em sua integralidade, eu uso algum parágrafo do que escrevi para gerar um conteúdo novo para as redes sociais.

E minha intenção é sempre atrair o tráfego para o meu site pessoal, por isso coloco o link do artigo completo no post quando se trata do Facebook e Linkedin ou na bio quando é o Instagram.

Eu utilizo as redes sociais para atrair tráfego para o site e permitir que o potencial cliente entre em contato comigo por lá.

Já errei muito tentando postar um conteúdo criado do zero em cada umas dessas redes sociais.

Obviamente falhei com sucesso, já que é humanamente impossível dar conta de tudo realizando uma advocacia autônoma.

Depois de estudar sobre linhas editoriais e distribuição de conteúdo, fui aprendendo como desenvolver a estratégia que comentei no início.

Conclusão

A internet é uma ferramenta incrível.

Para quem está disposto a criar conteúdo de forma constante os resultados são inevitáveis.

Só posso agradecer pelas oportunidades que a internet me proporciona.

Tanto é verdade que estou escrevendo aqui, no Manual do Advogado, o maior site sobre prática trabalhista do Brasil.

Se você não está satisfeito com os resultados que a advocacia tradicional tem proporcionado, vale a pena tentar novas estratégias para conquistar clientes na advocacia.

Estude bastante sobre marketing de conteúdo e aplique em seus textos tudo o que for apreendendo.

Fico feliz que tenha chegado até aqui.

Obrigado!

____________

Crédito de imagem: Marymarkevich

Deixe seu comentário